quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Ki-Top - Potro Mangalarga Marchador Preto Pampa

Nova aquisição: Potro de 15 meses, futuro garanhão Preto Pampa, duplo registro, Mangalarga Marchador e Pampa. Bem estruturado e harmonioso, forte e de marcha picada genuína. Vejam o primeiro video e as imagens do Ki-Top Sete Ferros filho do Nebuloso EAO. Génetica e marcha de qualidade superior.

video

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Nina Marotinho - 7 meses



Linda potra! Primeira vez que puxei no cabresto fiz este vídeo desta potra mangalarga marchador pura, filha de Herdeiro RRC que vai a Seiko LJ em uma égua neta do grande Lampeão HO que dispensa comentários, muita genética da raça. Animal com ótimo desenvolvimento, frente refinada, cabeça bonita elevada.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Nova Aquisição - Decidida do Sonho

Resgate Passa Tempo X Altiva do Café

Potra de marcha picada de qualidade, a mais nova aquisição do Haras Marotinho!
Uma filha do sensacional pampa de preto RESGATE DA MARCA F numa égua muito marchadeira e genética comprovada e também pampa ALTIVA DO CAFÉ !

Alazã, bela fêmea para os amantes da marcha picada. Carrega o sangue da Linhagem Passa Tempo na linha alta com controle genealógico na ABCCMM desde 1949 e na linha baixa o do expoente máximo da Linhagem Herdade, o grande Herdade Capricho. Esta é Decidida na Marcha Picada de elite.






segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Video Margalarga Marchador - Nina Marotinho



Potrinha linda com 10 dias de vida, primeiro filme! Margalarga Marchador pura!! Filha de uma neta de Lampeão HO. Seu Pai Herdeiro RRC descende de Seiko LJ.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Cuidados com o Potro neonato

Neonato é o animal recém nascido. A duração deste estado é de 48 horas a 4 meses, no caso dos mamíferos. A variação depende da condição de sobrevivência do filhote sem a mãe. Se ocorrerem distúrbios durante a gestação ou parto, o filhote deve ser acompanhado, no mínimo, por 24 a 48 horas pós-parto. 
Uma gestação normal vai de 335 a 342 dias. O exame clínico do potro recém-nascido não difere do exame de um adulto, porém os parâmetros são outros. A importância deste está na necessidade da rápida atuação do médico veterinário nos casos de emergências neonatais. 
Principais cuidados com o recém-nascido

 • Sistema respiratório 

 A freqüência respiratória no recém-nascido é de 50 a 60 movimentos/minuto. Em casos de alterações, verificar se há uma camada mucosa revestindo a cavidade nasal e/ou oral. Se houver, removê-la com pano seco e limpo. Se ocorrer dificuldade respiratória por conteúdo líquido, é necessário massagear as narinas, friccionando da cabeça ao focinho. A respiração pode ser estimulada elevando o posterior do animal, friccionando o dorso com pano limpo ou palha, batidas com a palma das mãos na parede torácica ou jato de água fria. Nos casos de não se restabelecer o padrão respiratório em 2 a 3 minutos, utilizar oxigenioterapia para evitar morte ou danos cerebrais. 

 • Sistema cárdio-circulatório 

 No momento do nascimento, a freqüência cardíaca é de 60 a 80 batimentos/minuto, entre uma e doze horas pós-parto ela é de 120 a 140 bat/min e após 12 horas, 30 a 40 bat/min. • Temperatura A temperatura retal do potro deve ser aferida e estar entre 37,5 - 38,5ºC. Um desvio acima ou abaixo é preocupante e requer a presença do veterinário. 

 • Cordão umbilical 

 Após o término do parto, a égua permanece deitada; e é assim que tem de ser. Este tempo serve para que diminua a circulação sangüínea do cordão umbilical. No momento em que ela se levanta, o cordão se rompe. Se a égua se levantar e o cordão não romper, deve ser “cortado” por um médico veterinário dentro dos procedimentos de assepsia, na linha de destacamento natural. O coto umbilical deve ser embebido em iodo a 2% 

 • Excreção de mecônio 

 Mecônio são as “fezes” (secreções, fluídos, células e bile) produzidas e acumuladas no intestino durante a vida intra-uterina, a partir da segunda metade da gestação. A coloração vai de marrom amarelada a marrom escura. A liberação do mecônio deve ocorrer entre 4 a 5 horas pós-parto. Se isto não ocorrer deve-se interferir, do contrário o potro manifestará cólicas abdominais.

 • Amamentação 

 O leite da égua é o alimento essencial aos recém-nascidos, tanto em quantidade como em composição. Só é necessário que se avalie a quantidade de anticorpos nele presente. O reflexo de sucção do filhote começa a partir da manutenção do potro em pé, o que demora em torno de uma hora. 

 • Isoeritrólise neonatal 

 É uma síndrome que ocorre nos potros recém nascidos por incompatibilidade sanguínea do potro com a égua. É mediada a partir dos anticorpos maternos, que são absorvidos através do colostro, e que respondem contra os eritrócitos (hemácias) do potro. Clinicamente nascem normais e após a primeira mamada se apresentam deprimidos, fracos e com o reflexo de sucção diminuído após 12 a 72 horas. 

 • Septicemia neonatal 

 É a principal causa de óbito e conseqüentemente perdas econômicas. A taxa de sobrevivência dos acometidos é baixa e quase sempre acaba por causar danos irreversíveis, infecções localizadas ou atrasos no crescimento. O parto das éguas ocorre preferencialmente durante a madrugada, o que dificulta o acompanhamento e “facilita” a proteção do neonato, evitando assim qualquer perturbação. O parto pode ser dividido didaticamente em três estágios: o primeiro é de inquietação com dor abdominal. O segundo compreende a ruptura da bolsa, o início do nascimento e o ato de respirar. O terceiro estágio é a liberação dos envoltórios fetais (placenta) que leva de trinta minutos a três horas do início do parto. 

  * Danielle De Maria (CRMV – SP 9314) é formada pela Universidade Paulista (UNIP), com especialização em medicina esportiva eqüina: clínica, cirurgia e reabilitação. Fone: (11) 9955-1196

quinta-feira, 25 de outubro de 2012